40 anos depois, Nadia Comaneci chama a atenção por sua beleza e estilo duradouros

40 anos depois, Nadia Comaneci chama a atenção por sua beleza e estilo duradouros1shares

Há momentos inesquecíveis quando se trata de competições esportivas. Ano após ano, vemos novas promessas surgirem em diferentes modalidades que superam as marcas daqueles que hoje são considerados ícones. No entanto, apesar do sucesso e do talento dos novos atletas, alguns personagens são inesquecíveis. 

Esse é o caso da ginasta Nadia Comaneci. Ela se tornou o primeiro atleta a alcançar uma pontuação perfeita nos Jogos Olímpicos ao longo da história, desafiando as expectativas de todos, inclusive a dos fabricantes das placas de pontuação.

Infelizmente, Nadia deixou a ginástica em 1981, mas segue sendo referência obrigatória da ginástica mundial. Pouco mais de 40 anos se passaram e ela seguiu com sua vida, longe das câmeras, mas nunca de sua paixão esportiva. 

Hoje, nós tomamos a iniciativa de lhe mostrar o quão atraente ela está no auge de seus 56 anos, além de lhe contar alguns outros detalhes interessantes sobre sua carreira. 

A história por trás desta emblemática mulher do esporte 

Foi nos Jogos Olímpicos de Verão, em Montreal, no dia 18 de julho de 1976, que Nadia Comaneci, com apenas 14 anos de idade, em sua estréia olímpica, se tornaria referência na ginástica feminina. 

Ela conseguiu ótimas pontuações nas provas em equipe e impressionou a todos pela sua perfeição nas barras assimétricas. Ela recebeu o inédito "10 perfeito" da competição. A máxima foi a primeira das sete notas perfeitas que conseguiu no Canadá. Com três medalhas de ouro, se tornou a campeã olímpica mais jovem da modalidade.

Aos 14 anos de idade e em sua estréia olímpica

As 18.000 pessoas que estavam no estádio durante o evento ficaram surpresas após sua apresentação. Ela se tornou um ícone da ginástica artística e, até o momento, seu legado permanece intacto.

Um fato curioso

O conselho não estava preparado para marcar uma pontuação perfeita de 10,00, para as quais apenas 1,00 poderia ser observado. Até então, considerou-se impossível alcançar tal pontuação, por isso não parecia importante incluir uma linha adicional para isso. 

Por tudo isso, seu nome foi gravado para sempre como uma das melhores ginastas de todos os tempos

Sua carreira depois disso continuou a crescer, e Nadia seguiu consequindo bons resultados em torneios europeus e mundiais. Se apresentou nas Olimpíadas de Moscou em 1980 quando, embora sentindo dores nas pernas, conseguiu o ouro e duas medalhas de prata.

Um pouco mais de 40 anos depois

Aos 56 anos ela ainda está radiante. Ela está sempre na moda, e sempre mudando seu visual.
Ela é uma mulher confiante e não tenha medo de experimentar estilos diferentes.

 Atualmente, ela mora nos Estados Unidos.

A elegância e bom gosto estão sempre presentes

E ela se mantém em forma praticando ginástica

Em 2006 ela se tornou mãe ... 

Casada desde 1996 com o também ginasta Bart Conner, em 2006 ela deu luz a Dylan, que completou sua família e também sua felicidade.

Ao lado de seu marido, ela administra uma academia para ginastas  

Lá, ela é responsável por fornecer todas as ferramentas e um ou outro dos seus segredos para terem sucesso nessa disciplina. 

Ela é maravilhosa! 

E se orgulha de sua flexibilidade 

Ela apóia várias organizações sociais

Além de ter experimentado como comentarista e ser cara de algumas marcas esportivas. Uma das organizações que se envolveu mais é a Fundação "Laureus", que visa divulgar uma mensagem de esperança para aqueles que mais precisam dela usando o esporte como ferramenta para a transformação social. Sua generosidade não conhece limites. Sem dúvida, uma grande mulher em todos os sentidos.

Seu rosto reflete a plenitude de sua vida

Antes, agora e para sempre uma estrela!

O que você acha dessa lenda da ginástica olímpica?

DEJANOS SABEN TU OPINION
TE LO RECOMENDAMOS
TU PUEDE INTERESAR