A filha de Steve Jobs revela detalhes cruéis do relacionamento com seu pai

A filha de Steve Jobs revela detalhes cruéis do relacionamento com seu pai5shares

Lisa Brennan-Jobs era uma garotinha quando seu pai a visitou no miserável estúdio alugado em Menlo Park, Califórnia, onde morava. Era 1980 e a segunda vez que a via. Sua mãe, Chrisann Brennan, não conseguia nem pagar as contas de luz. Brennan, uma mãe solteira, trabalhava como faxineira e garçonete, e completava seu salário com benefícios sociais, enquanto lutava pelos miseráveis 500 dólares que Steve Jobs, seu ex-namorado e pai de Lisa, lhes dava por mês.

Por sua vez, Jobs já ganhava US $ 200 milhões como criador da Apple, a empresa de tecnologia que tornou-se a primeira empresa americana com um valor de mercado de US $1 trilhão. De acordo com os tribunais, Jobs não pagava pensão a Brennan, sua primeira namorada, porque alegava que não era o pai de Lisa, e falsamente alegou ser estéril, mas depois de passar por um teste de DNA, foi confirmado que Jobs era o pai. Mesmo assim, ele insistiu por muitos anos que Lisa não era sua filha.

Sua monstruosa arrogância e narcisismo vieram à tona durante seu breve encontro em Menlo Park

Lisa escreve em sua autobiografia, Small Fry; “Você sabe quem eu sou?” Ele perguntou, tirando o cabelo dos olhos. Eu tinha três anos, não sabia. 'Eu sou seu pai' ('Como se fosse Darth Vader', disse minha mãe, quando ela me contou a história). "Sou uma das pessoas mais importantes que você conhecerá", ele me disse.

Por mais ridículo que pareça, ele foi muito sério

Em um trecho do livro, publicado na revista Vanity Fair, Lisa lança sentenças condenatórias contra o pai do iPhone, o iMac e o iPod.

Ela descreve como Jobs ficou enfurecido quando, depois de ouvir a história de sua mãe que o gênio perfeccionista estava descartando seus Porsches se eles tinham um arranhão, Lisa perguntou-lhe inocentemente se ele lhe daria o que ele dirigia naquele momento, quando não quisesse mais.

"Durante muito tempo, pensei que, se me comportasse como uma filha amorosa, ele seria um pai complacente", escreve ela. 

Quando Jobs já estava morrendo devido ao câncer, Lisa foi visitá-lo e ele disse: "Você cheira a banheiro". Ela disse que tinha acabado de borrifar um perfume, mas isso era normal para ele: tecnicamente muito preciso, mas totalmente desprovido de tato e calor.

DEJANOS SABEN TU OPINION
TE LO RECOMENDAMOS
TU PUEDE INTERESAR