A trágica história do filho de Eric Clapton e a música que ele fez para lidar com a dor

A trágica história do filho de Eric Clapton e a música que ele fez para lidar com a dor18shares
"Você saberia meu nome se eu te visse no céu? Seria o mesmo se eu te visse no céu?"
Trecho da letra de "Tears In Heaven"

A morte de uma criança talvez seja a maior tragédia que uma pessoa possa viver. É algo natural que não deveria acontecer, não é normal que um pai sobreviva ao filho. Na verdade, os psicólogos dizem que é o evento mais traumático que uma pessoa pode experimentar.

Infelizmente, em 1991 houve um caso se tornou muito famoso e esteve em toda a mídia. Conor Clapton, o filho de 4 anos do famoso guitarrista de blues e rock Eric Clapton e a modelo italiana Lory del Santo, morreu em um trágico acidente. Esta é a história de Conor e a música que seu pai compôs para aliviar sua dor.

O cantor e guitarrista inglês Eric Clapton conheceu Lory del Santo em 1985.

Lory, modelo italiana e atriz, conheceu Clapton em um jantar em Milão, quando o cantor estava visitando a cidade durante sua turnê européia. Eles foram imediatamente atraídos, mas o relacionamento que tiveram foi muitos altos e baixos.

Depois de alguns meses, Lory ficou grávida.

Quando ela deu a notícia a Clapton, ele não ficou feliz, disse-lhe que não estava pronto para ser pai. A modelo ficou muito surpresa com sua reação, mas decidiu continuar com a gravidez e ter Conor.

Eric estava em um momento ruim, recém saído da reabilitação.

O artista sentiu que precisava consertar sua própria vida antes de entrar na paternidade.

No entanto, após pouco tempo ele reagiu.

Ele tomou a decisão certa de assumir seu papel e, em agosto de 1986, ele se tornou pai.

Eles foram morar em uma casa de campo na Inglaterra.

A família viveu poucos anos felizes até que o caráter de Eric vir a tona novamente. Ele não se sentia mais à vontade com a vida familiar. Quando Conor tinha 3 anos, seus pais se separaram. 

Eric voltou para a reabilitação.

Conor foi com sua mãe morar na Itália.

Apesar da separação, Eric continuou a desempenhar o papel de pai com Conor.

Ele o visitava sempre que podia. Em março de 1991, convidou Lory Del Santo e Conor para passar as férias da Páscoa como família em Nova York. 

Em 19 de março, os três foram ao circo.

A ex-modelo comentou anos mais tarde em uma entrevista: "Esse dia foi o dia mais feliz de nossas vidas", a partir daquele dia o cantor lhe teria dito que queria recuperar sua família e que estava pronto para assumir a paternidade de seu filho em tempo integral.

Mas no dia seguinte a tragédia aconteceu.

Conor se levantou muito feliz na manhã do dia 20 de março, porque naquele dia seu pai o levaria ao zoológico e passariam a tarde juntos.

O pequeno de 4 anos brincava com sua babá no luxuoso apartamento de Eric em Manhattan, enquanto sua mãe se arrumava para sair.

Ninguém tinha notado que a pessoa que limpou os vidros tinha deixado uma janela aberta.

O pequeno Conor, inconsciente do perigo, subiu na janela e caiu do 53º andar. Ele morreu instantaneamente quando atingiu o telhado do prédio ao lado. 

Para lidar com a dor, Clapton compôs "Tears In Heaven".

Apesar de estar há anos longe do palco, Eric Clapton canalizou seu sofrimento do único jeito que sabia que funcionaria, através da música. 

Esta é a tradução da música em português:

Você saberia meu nome

se eu o visse no paraíso?

Você seria o mesmo

se eu o visse no paraíso?

Eu devo ser forte e seguir em frente

Porque eu sei

Que não pertenço

Aqui no paraíso

Você seguraria minha mão

se eu o visse no paraíso?

Você me ajudaria a ficar em pé

se eu o visse no paraíso?

Encontrarei meu caminho

Pela noite e pelo dia

Porque eu sei

Que não posso ficar

Aqui no paraíso

O tempo pode te derrubar

O tempo pode te fazer ajoelhar

O tempo pode quebrar seu coração

Você implora por favor

Implora por favor

Além da porta

Existe paz, tenho certeza

E eu sei

Que não haverá mais

Lágrimas no paraíso.

Inicialmente, Clapton planejava descansar no final de fevereiro de 1991.

Eric Clapton. Ao Vivo em Los Ángeles. 1 de Maio. The Forum

Passou os últimos dois anos em turnê, tocando na África, América do Sul, Europa e Estados Unidos.

Mas depois da trágica morte de seu filho, Clapton entrou em sua casa nos arredores de Londres, onde permaneceu isolado por meses.

Como ele confessou, sua primeira reação foi negativa, ele queria fugir de tudo, mas logo ele percebeu que precisava enfrentar o sofrimento.

Ele voltou a frequentar as reuniões de Alcoólicos Anônimos, onde começou a fazer terapia e finalmente conseguiu aliviar e gerenciar sua dor. 

Ele recebeu inúmeras cartas de pessoas que compartilhavam de seu sofrimento, um dos primeiros que lhe escreveu oferecendo apoio foi seu amigo Keith Richards, do The Rolling Stones.

Também seu amigo Phil Collins apressou-se em dizer-lhe palavras de encorajamento.

Embora Lory e Eric já estivessem separados, eles mantiveram contato o tempo todo e se apoiaram.

Depois do verão, Eric voltou para a música novamente, com seu amigo, ex-Beatle, George Harrison.

Outra tragédia já havia acontecido com Eric no ano anterior ... 

Depois de um show com Stevie Ray Vaughan, Eric  deu seu helicóptero a ele, que caiu com 5 pessoas a bordo, incluindo Vaughan e dois técnicos de Clapton.

Como Clapton, Vaughan superou seus vícios e teve um retorno memorável ao palco.

Em outubro de 1991, Clapton lançou um álbum ao vivo intitulado 24 Nights, que resumia parte de seus shows nos últimos dois anos.

Em 1992, ele gravou seu álbum Unplugged, pelo qual ganhou seis Grammy Awards em 1993, incluindo o álbum e a melhor música rock do ano.

Justamente, por Tears in Heaven ...

O corpo de Conor permanece enterrado em Ripley, Surrey, onde Eric nasceu. 

Uma história triste que move o mundo inteiro até hoje. 

DEJANOS SABEN TU OPINION
TE LO RECOMENDAMOS
TU PUEDE INTERESAR