Budistas abriram o túmulo de seu mestre 90 anos depois e o encontram com "vida"

Budistas abriram o túmulo de seu mestre 90 anos depois e o encontram com "vida"3shares

Para o grupo de discípulos que estava no templo budista da Buriátia, na Rússia, em 15 de junho de 1927, essa é uma data memorável. Naquele dia, seu professor Dashi-Dorzho Itigilov disse-lhes que ele iria para outro mundo. Ele pediu a seus alunos para enterrá-lo quando ele morresse e exumar seu corpo 50 anos depois.

Mas Dashi-Dorzho não foi qualquer professor, ele era o líder espiritual dos budistas na Rússia. Em preparação para sua morte, ele seguiu uma dieta especial, e tudo o que ele fez foi parte de seu plano para provar à humanidade que a imortalidade não é um mero mito. Quando chegou a hora de sua partida, ele se sentou no chão na posição de uma flor de lótus, fechou os olhos e morreu ali alguns dias depois. Para satisfazer seus desejos, seus discípulos colocaram seu corpo dentro de uma caixa de madeira feita de cedro para enterrá-lo.

Mas seus seguidores não cumpriram um de seus pedidos ...

Ser exumado 50 anos depois, já que a União Soviética proibira celebrações de natureza religiosa para isso. Então eles tiveram que esperar que o governo permitisse aos cidadãos, mais uma vez, praticar sua religião livremente, após a Guerra Fria.

E em 2002, 75 anos após seu enterro, seu corpo finalmente pode ser exumado

Ato que foi testemunhado por vários líderes budistas russos e algumas autoridades locais. Mas a descoberta que fizeram ao abrir a caixa acabou sendo algo que ninguém esperava e foi catalogado como um verdadeiro mistério para a ciência.

Dashi-Dorzho foi encontrado na mesma posição em que estava quando morreu

Embora nenhum método tenha sido usado para preservar o corpo do monge budista, ele permaneceu quase intacto e sem sinais de decomposição. Segundo as testemunhas, não havia odor de cadáver no ar.

Seu rosto estava totalmente intacto ...

E seu corpo permanecia na mesma posição, mesmo ao remover a madeira da parte de trás da caixa.

O perito forense encarregado do caso ficou extremamente surpreso ...

Sua pele permanecia macia e flexível e suas articulações ainda podiam ser movidas. Como era possível que um homem de 150 anos, morto há 75 anos, ainda parecesse tão vivo?

O corpo de Dashi-Dorzho foi transferido para o templo budista de Ivolginsky Datsan

Foi colocado dentro de uma caixa de vidro hermeticamente fechada e levada para aquele lugar. E ainda assim, quinze anos depois, ele permanecia intacto. Deve-se notar que em nenhum momento foram tomadas medidas especiais para preservar seu corpo da possível decomposição.

Ainda há sinais de vida em seu corpo ...

Através de amostras da sua pele, cabelo e unhas, foi confirmado que as células do seu corpo ainda estão se dividindo, mesmo que lentamente.

O peso do seu corpo também aumentou e mantém uma temperatura entre 18º e 34º C

Até agora, o lugar onde está abrigado é conhecido como local de peregrinação

Milhares de budistas visitam este famoso lugar todos os anos. Alguns afirmam que Dashi-Dorzho abriu os olhos várias vezes.

Em 2016, alguns eventos paranormais foram discutidos ...

Em que alegadas gravações de uma câmera de segurança mostram Dashi-Dorzho se movendo ao redor dos quartos à noite.

Mas sem pensar nesses rumores, o fato de seu corpo estar tão bem preservado ainda é um mistério

É possível que o monge tenha conseguido encontrar o segredo para se tornar imortal.

A este estranho caso, foi adicionado um mais recente, em 2015, e revisado pelo jornal mongol The Siberian Times

Em 25 de janeiro de 2015, na província Songino de Khairkhan, Mongólia, outro corpo semelhante de um monge mumificado foi encontrado

A múmia estava em uma caixa e estava coberta pelo que se presume ser pele de cavalo, camelo ou vaca

Inicialmente, o corpo foi destinado à venda no mercado negro, quando as autoridades descobriram

O monge também está sentado em posição de lótus, no que se acredita ser um transe meditativo

Mais uma vez, seu estado de conservação chamou a atenção dos cientistas, que o consignaram ao Centro Forense Nacional da Mongólia para estudos

Embora sua identidade seja desconhecida, estima-se que tenha 200 anos e há quem afirme que era o mestre de Dashi-Dorzho Itigilov

Ulaanbaatar, capital da Mongólia, e o centro forense que o abriga tornou-se automaticamente um local de peregrinação

Especula-se que ele poderia ter passado para seu pupilo o segredo para preservar seu corpo após a morte

Especialistas afirmam que ambos os monges entraram em um profundo estado de meditação espiritual, conhecido como "tukdam"

Se a pessoa permanecer nesse estado por mais de três semanas, o que raramente acontece, gradualmente seu corpo encolhe, e tudo o que resta dela é, finalmente, seu cabelo, unhas e roupas

Isto é indicativo de que atingiu o estado superior, ou nirvana, no qual toda a existência é suprimida, e que é acessada através do arco-íris

Em seus últimos dias de vida, vários monges e professores decidiram adotar essa posição e esperar placidamente e contemplativamente por sua morte

Aqui vemos o monge Kyabje Tenga Rinpoche, alguns dias antes de sua morte, nesta posição

Se por algum motivo, o corpo não desaparecer e permanecer intacto, a crença é que essa pessoa é pura e honrada e digna de adoração

Incrível! Você não acha?

O que você acha desse mistério? COMENTE e não se esqueça de COMPARTILHAR com todos os seus amigos.

DEJANOS SABEN TU OPINION
TE LO RECOMENDAMOS
TU PUEDE INTERESAR