Estudo revela que as mulheres retêm e absorvem o DNA vivo de seus parceiros sexuais

Estudo revela que as mulheres retêm e absorvem o DNA vivo de seus parceiros sexuais8shares

O funcionamento do corpo humano é extremamente belo e harmonioso, embora muito complicado de estudar, é por isso que a ciência estuda constantemente o organismo e faz novas descobertas ao longo dos anos.

Culturalmente, acredita-se que a única troca de DNA que pode ocorrer entre um homem e uma mulher que fazem sexo é a gravidez. No entanto, um estudo recente mostrou algo bastante interessante: as mulheres podem reter o DNA de seus parceiros sexuais masculinos anteriores ...

Continue lendo para saber mais sobre isso!

Se você não tinha idéia desse fenômeno, COMPARTILHE com seus amigos. Não se esqueça de nos deixar sua opinião nos COMENTÁRIOS, nós gostaríamos de saber o que você pensa sobre isso.

Pesquisas da Universidade de Seattle e do Centro de Pesquisa do Câncer Fred Hutchinson mostraram que as mulheres retêm o DNA vivo de todos os homens com quem fez sexo.

Essa surpreendente descoberta aconteceu por acaso, já que antes se tentava determinar se as mulheres que tinham um bebê em seu ventre poderiam estar mais predispostas a certas doenças neurológicas.

Mas quando os cientistas começaram a estudar o cérebro feminino, eles rapidamente se desviaram do objetivo inicial da investigação.

Desde que o cérebro das mulheres acabou por ser muito mais misterioso do que pensávamos. 

A pesquisa descobriu que cérebros femininos frequentemente abrigam um "microquimerismo masculino".

Em outras palavras, descobriram a presença do DNA masculino que se originou de outro indivíduo e que é geneticamente diferente das células das mulheres.

Segundo o estudo:

"63% das mulheres (37 de 59) tinham microquimerismo masculino no cérebro, e o microquimerismo masculino estava presente em várias regiões do cérebro".

Isso significa que 63% das mulheres carregavam DNA masculino em seus cérebros.

Ao descobrir isso, os pesquisadores fizeram a seguinte pergunta: de onde veio esse DNA? Claro, não poderia ser do pai da mulher, já que o DNA é combinado com o DNA da mãe para criar um DNA único ... Então, de onde?

No início, os pesquisadores pensaram que o DNA poderia vir de uma gravidez.

No entanto, quando realizaram autópsias no cérebro de mulheres que nunca tinham estado grávidas, ainda encontraram células de DNA masculinas no cérebro feminino.

Nesse ponto, os cientistas não entenderam o que estava acontecendo com o cérebro das mulheres.

Embora tivessem alguma suspeita de onde esse DNA do sexo oposto poderia vir ...

Em uma das conclusões de suas múltiplas investigações, esses cientistas disseram:

"Microquimerismo masculino não era incomum em mulheres sem filhos. Além de gestações conhecidas, outras possíveis fontes de microquimerismo masculino incluem aborto espontâneo não reconhecido, um gêmeo masculino desaparecido, um irmão mais velho transferido através da circulação materna ou TROCA SEXUAL. O microquimerismo masculino foi significativamente mais frequente e os níveis foram mais altos em mulheres com aborto induzido do que em mulheres com outros antecedentes da gravidez. Mais estudos são necessários para determinar as origens específicas do microquimerismo masculino em mulheres".

Então, de acordo com esses cientistas, as possíveis fontes das células de DNA masculinas que vivem no cérebro feminino são:

  1. Um gêmeo masculino desaparecido.
  2. Um aborto desconhecido.
  3. Um irmão mais velho transferido pela circulação materna.
  4. E, finalmente, as relações sexuais.

Considerando a alta porcentagem (de 63%) das mulheres que tinham esse tipo de DNA no cérebro, era óbvio que seria a uma última opção.

Já que as três primeiras opções eram muito improváveis e só se aplicavam a uma porcentagem muito pequena de mulheres.

Esta descoberta tem ramificações muito importantes para as meninas:

E é que todo homem com quem elas têm relações sexuais desprotegidas deixa o esperma em seus corpos, que retêm o DNA vivo que acaba em seu cérebro por toda a vida.

E quando dizemos por toda a vida, não é exagero.

Já que parte das mulheres deste estudo eram idosas e algumas carregavam DNA masculino por mais de 50 anos.

Como você sabe, o esperma está vivo. Quando entra no corpo depois do sexo, nada e nada até encontrar uma parede e penetrar sua carne.

Se o sêmen entra pela boca, essas células vivas nadam e sobem pelas passagens nasais, ouvido interno e atrás dos olhos, para penetrar na corrente sanguínea e, eventualmente, acumular-se no cérebro e na espinha.

E é assim que o DNA masculino se torna uma parte das mulheres.

Temos certeza de que essa descoberta fará com que as mulheres pensem melhor antes de fazer sexo com qualquer um.

O que você achou deste estudo? As mulheres devem levar isso em conta antes de fazer sexo?

Deixe a sua resposta nos COMENTÁRIOS e COMPARTILHE com os seus amigos.

"Isso é horrível".

DEJANOS SABEN TU OPINION
TE LO RECOMENDAMOS
TU PUEDE INTERESAR