Lina foi mãe aos 5 anos de idade em 1939 e essa é sua história

Lina foi mãe aos 5 anos de idade em 1939 e essa é sua história480shares

É surpreendente que apenas pesquisando, lendo, investigando e perguntando, você faça descobertas incríveis de histórias tão surpreendentes quanto aterrorizantes, que aconteceram ao longo da história. Um desses casos é o de Lina Medina, uma pequena garota de 5 anos, nascida no Peru, que foi notícia nos anos 30, porque ela se tornou a mãe mais nova de todos os tempos. Embora sua história tenha sido capa de vários jornais, no meio da Segunda Guerra Mundial, não recebeu a importância correspondente.

O que aconteceu é demais para uma garota de sua idade e, embora esse seja o caso da criança mais nova que tenha se tornado mãe já registrado, há muitos outros casos que nunca deixam de nos horrorizar, de meninas que são um pouco mais velhas que Lina e já se tornaram mães.

Convidamos você a conhecer esta história chocante.

Mudanças no seu corpo

Lina nasceu em 1934 em Antacancha, uma das cidades mais remotas e mais pobres do Peru. Ela morava com seus pais e seus 8 irmãos e, embora não vivessem no luxo e conforto, eles se mostravam uma família muito comum. Até aquele momento, quando Lina tinha apenas 4 anos e seu corpo começou a sofrer mudanças que chamaram a atenção de toda a comunidade.

Os pais não entenderam o que estava acontecendo

Seu abdômen começou a aumentar de forma preocupante e, entre os vizinhos da região, começou a se espalhar rumores de que um demônio havia assumido o corpo da menina. Seu pai, Tiburcio Medina, alarmado, começou a levar a menina em rituais e exorcismos diferentes para tirar o espírito de seu corpo, porque lhe estava fazendo um grande mal. Obviamente, nada disso funcionou.

Devido ao aumento de tamanho do abdômen de Lina, seus pais também pensaram que poderia ser um tumor

Por esta razão, decidiram viajar para Pisco, onde conheceram o Dr. Gerardo Lozada, que depois de ouvir seu estômago e um pequeno batimento cardíaco, deu-lhes um diagnóstico incrivel e perturbador, Lina estava grávida de 7 meses.

Um mês depois, a menina foi submetida a uma cesariana

Em 14 de maio de 1939, ela deu à luz a um menino saudável, de 2,7 quilos e 48 cm de comprimento. Eles o chamaram de Gerardo, em homenagem ao seu médico.

Lina tornou-se, com apenas 5 anos e 7 meses de idade, a mãe mais nova do mundo

Enquanto isso, na comunidade o rumor que estava se espalhando mais e mais era que Lina seria a nova Virgem Maria que havia concebido sem pecado original, e que Gerardo era filho do "Deus do Sol".

O presidente do Peru na época, Óscar Benavides, aprovou uma lei para ter a custódia de ambos e prometeu-lhes uma anuidade vital para protegê-la.

Várias empresas e laboratórios ofereceram dinheiro aos pais em troca de contar sua história e/ou realizar pesquisas sobre o caso.

Infelizmente, a promessa presidencial nunca foi cumprida, já que um processo de investigação foi aberto para tentar descobrir quem era o pai do bebê e, além disso, a forma como o recém-nascido tinha sido gestatizado. Lina também foi submetida a uma grande quantidade de estudos.

A conclusão dos estudos

De acordo com relatos da Academia Americana de Obstetrícia e Ginecologia na época, a menina começou a puberdade ainda com poucos meses de vida. Aos três meses, ela já tinha pêlos pubianos e antes dos três anos de idade, já havia se desenvolvido. O primeiro mistério foi revelado.

Nunca se soube quem era o pai do seu bebê

Em algum momento, o pai de Lina foi investigado e acusado de estupro e incesto, mas não havia provas suficientes contra ele, então as acusações foram descartadas. Também se suspeitava de um dos irmãos, que tinha 9 anos e um transtorno mental, mas nunca foi descoberto quem era responsável ... e Lina nunca disse.

Como Lina era muito jovem para ser mãe, Gerardo foi criado por seus avós e cresceu pensando que Lina era sua irmã. Brincavam juntos e brigavam pelos brinquedos, eram companheiros de brincadeiras, riam e se divertiram como todos os irmãos com apenas 5 anos de diferença. Quando Gerardo completou 10 anos, sua família lhe contou a verdadeira história.

Dr. Lozada foi o seu grande apoio

Lina sempre manteve contato com a Dr. Lozada, que a ajudou a pagar seus estudos e também os de Gerardo.

Com idade suficiente, começou a trabalhar como secretária na clínica do Dr. Lozada

Aos 33 anos, casou-se com Raúl Jurado, com quem teve um filho em 1972. Gerardo faleceu aos 40 anos de idade, devido a uma doença estranha na medula óssea.

Em 2002, o ginecologista José Sandoval, viajou para Antacancha e reabriu o caso de Lina

Ele também escreveu sua história e foi ao Palácio do Governo para lembrá-los da dívida deixada pelo ex-presidente Benavides.

"Seis décadas depois, o governo peruano procura ajudar a Lina, como para pagar a carta morta de uma Lei de 1939 que prometeu uma anuidade vital para ela e seu filho. Ainda estamos em tempo de reparar o dano causado pelo Estado condenando-a à miséria "

- José Sandoval, ginecologista 

Em uma declaração feita por seu marido, ele assegurou que Lina "ficou prudente e introvertida", por causa do assédio à mídia

Ela preferiu manter o silêncio e permanecer anônima por 78 anos. Muitos ignoram que esta mulher vive em um subúrbio perigoso de Lima conhecido como Little Chicago e, nos anos 80, o governo ordenou destruir sua casa para construir uma rodovia. Naquele momento, ela não recebeu um único peso como compensação.

Esta é Lina, aos 83 anos.

Uma história incrível que nos faz refletir sobre como a puberdade precoce aumentou os casos de meninas que foram mães muito jovens

Embora Lina tenha sido mãe mais nova do mundo, existem outros casos que também nos surpreendem

Conheça alguns deles

Yelizaveta "Liza" Gryshchenko, na União Soviética, é o segundo caso mais jovem a ser registrado

Na década de 1930, uma menina de seis anos foi levada ao hospital porque a barriga cresceu incrivelmente. Os médicos imediatamente viram que ela tinha cabelo em suas partes íntimas e os seios definitivamente desenvolvidos. As perguntas que eles fizeram a Liza revelaram que seu avô materno de 69 anos abusava dela. Liza deu à luz uma menina que pesava 3 kg e mediu 52 cm, embora ela não tenha sobrevivido ao nascimento porque os pais insistiram em um parto natural, ao invés de uma cesariana.

"H", a menina hindú que deu à luz aos 6 anos e 7 meses

Uma menina da Índia, identificada como "H" nos relatórios, deu à luz por cesariana em 7 de junho de 1932, no Hospital Victoria Zanana em Delhi, quando tinha apenas seis anos e sete meses de idade. Na verdade, quando ela foi levada ao hospital reclamava de dor na parte inferior do abdômen. Então descobriu-se que estava grávida. Ela deu à luz um bebê saudável que pesava cerca de 2 quilos e meio.

Zulma Guadalupe Morales do México tornou-se mãe aos 8 anos

Em 12 de janeiro de 1993, essa mexicana de apenas oito anos deu à luz uma criança saudável no National Medical Center of West Hospital, em Guadalajara, no México. O bebê, que pesava 3 quilos, veio ao mundo através de uma cesariana. O médico responsável, Dr. Ever Rodríguez Arias, informou que a mãe e o bebê estavam em "condições perfeitas" após o parto. Morales ficou grávida depois que seu tio abusou dela, seus pais queriam manter seu segredo. No entanto, as notícias correram e seu nome foi anunciado.

Menina anônima na Índia também foi mãe aos 8 anos de idade

Na cultura indiana, a prática do casamento organizado continua até hoje. Muitas vezes, esses casamentos envolvem crianças ainda muito novas, e a prática de permitir que um bebê faça parte de tal arranjo não é incomum. Há casos em que para aliviar o ônus de criar filhos e ganhar dinheiro, os pais "vendem" suas filhas para homens adultos. Este foi o caso de uma menina de sete anos cuja mãe viúva entregou-a em um casamento arranjado. Infelizmente depois de dar à luz aos 8 anos, ela e seu bebê morreram.

Griseldina Acuña, da Colômbia, deu à luz seu primeiro filho aos 8 anos e 2 meses de idade

Não há mais informações sobre este caso, já que no momento não foi registrado corretamente. No entanto, os registros mostram que ela começou a menstruar quando tinha apenas três anos e que ela deu à luz um bebê com 2 quilos e 300 gramas, em 13 de setembro de 1936. Naquela época, Griselda tinha apenas oito anos e dois meses de idade, o que o torna um caso igualmente chocante.

Também na Colômbia, uma menina desconhecida tornou-se mãe aos 8 anos e 5 meses de idade

Em 2004, uma menina de sete anos cujo nome não foi informado foi buscar remédios para sua mãe, e um homem de 32 anos que trabalhava na farmácia abusou dela. Oito meses depois, a polícia deteve a menina e sua mãe porque suspeitavam que o abdômen inchado da menina escondia narcóticos. A mãe da menina não tinha escolha senão admitir que sua filha estava grávida. Aparentemente, a mãe e a menina haviam sido ameaçadas por ele para que não o denunciassem. A menina foi colocada sob a proteção do Instituto Colombiano de Bem-Estar da Família e deu à luz no Hospital Meissen, mas o culpado nunca foi preso, já que a família não apresentou acusações.

Hilda Trujillo, do Peru, tornou-se mãe aos 8 anos e 7 meses de idade

Hilda Trujillo era de uma família pobre que morava em uma residência de um quarto. Um primo de 22 anos que estava visitando a família abusou dela em segredo, quando tinha apenas 7 anos de idade. Cinco meses depois, a mãe de Hilda percebeu que o estômago de sua filha estava crescendo anormalmente, o médico confirmou que Hilda estava grávida. O primo foi imediatamente preso. Aos três meses, e sem a ajuda de anestesia, ela deu à luz uma bebê chamada Maria do Rosário.

Mum-Zi da Nigéria deu à luz um bebê, aos 8 anos e 4 meses de idade

Em vários lugares da África, os haréns ainda existem, e neles ocasionalmente existem meninas, mas geralmente não têm filhos até que tenham sua primeira menstruação. Esta menina teve uma puberdade precoce, o que lhe permitiu dar à luz um filho de seu chefe, Akkiri, em dezembro de 1884, quando tinha apenas 8 anos. Pior ainda, a filha que teve, chamada Zi, também deu à luz aos de 8 anos e 8 meses de idade. Isso fez de Mum-Zi a avó mais jovem de todos os tempos, aos 17 anos de idade.

A gravidez infantil e adolescente é um problema sério e crescente na América Latina

Um estudo recente feito pela ONU indica que a América Latina é a única região no mundo onde os partos de mães menores de 15 anos aumentaram em cerca de 10%.

O abuso sexual e a violência contra as mulheres são fatores que agravam o problema

Em muitos casos de gravidez infantil e adolescente, mães jovens foram abusadas por familiares ou pessoas conhecidas.

No Peru, pelo menos três adolescentes menores de 15 anos se tornam mães todos os dias

Em 2014, em El Salvador, 16% das adolescentes grávidas se suicidaram.

Um estudo revela que as taxas de agressão sexual em mulheres cresceram da mesma forma.

Na medida em que as mulheres denunciam a violência doméstica e os governos tentam evitá-las, também evitamos a gravidez infantil e adolescente

É hora de parar com isso.

O que você achou do caso de Lina e das outras meninas? Que medidas você acha que poderiam ajudar a evitar casos como estes? Conte-nos e compartilhe para aumentar a conscientização.

DEJANOS SABEN TU OPINION
TE LO RECOMENDAMOS
TU PUEDE INTERESAR