Mãe coloca gravador na mochila de seu filho autista e descobre algo terrível

Mãe coloca gravador na mochila de seu filho autista e descobre algo terrível0shares

Todos os dias enviamos nossos filhos à escola, confiantes de que receberão uma educação de qualidade em um ambiente de respeito e cordialidade e, embora saibamos que as crianças podem ser bastante cruéis com suas piadas, esperamos que professores e adultos responsáveis intervenham para garantir que as crianças não sejam vítimas de bullying.

Mas o que acontece quando os próprios professores intimidam os alunos? Infelizmente foi o que aconteceu com o menino nessa história e o pior é que os professores envolvidos são licenciados em educação infantil especial, já que trabalham em uma academia que é responsável por este tipo de alunos. Felizmente, a percepção de sua mãe impediu que continuassem a incomodar seu filho.

Camden é uma criança com necessidades especiais

Ele tem 12 anos e mora em Baton Rogue, Louisiana, e sofre de um caso grave de autismo e é por isso que sua mãe Milissa Davis o matriculou na Hope Academy, uma escola especializada no cuidado de crianças especiais, na esperança de que ele aprendesse em um ambiente mais abrangente, onde ele receberia o apoio que precisa.

Mas logo depois sua mãe começou a notar mudanças em Camden

O menino, que costumava ser alegre e jovial, começou a ficar mais reservado do que o habitual, mostrou sinais de estresse, passou a ter comportamentos agressivos e também fazia xixi na cama durante a noite.

Seu instinto de mãe lhe disse que algo estava errado

Embora a Hope Academy seja um dos melhores lugares para crianças com necessidades especiais, os problemas com Camden começaram depois de sua mudança para essa escola.

Primeiro ela tentou conversar com os funcionários da escola

Mas a diretoria demonstrou pouco interesse em encontrar a raiz do problema, supondo que fossem exageros de uma mãe superprotetora.

Em seu desespero, ela elaborou um plano

Escondeu um gravador na mochila de seu filho para descobrir qual era a causa da sua infelicidade.

Quando ela ouviu a gravação, não podia acreditar no que estava acontecendo.

Camden estava sendo assediado, mas não por outras crianças, e sim por seus próprios professores, que deveriam ser treinados em educação especial.

"Eu me sinto triste e parte meu coração saber que isso aconteceu com Camden", declarou Milissa.

"Isso não deveria acontecer a nenhuma criança, e tornei isso público porque eu quero que Camden seja a última criança que tenha passado por isso nesta escola", acrescentou.

Estas são algumas das coisas que os professores disseram a Camden:

Adulto: "Camden, por que você não escreveu nada? É por isso que você não pode sentar com as outras crianças. Diga isso para sua mãe".

Em outro momento ele zomba do garoto.

Adulto: Você está apenas escrevendo a palavra. Quão difícil pode ser isso?

Estudante: * barulho *

Adulto: * tira sarro do barulho *

Também é ouvido quando ele fala mal da criança para outro professor.

Adulto: "Vamos ver o que eles fazem com ele em uma m**** de escola pública. Ele iria morar em Oak Middle. Uh Ah, ele não duraria nem um minuto".

No dia seguinte, Milissa levou a gravação para a escola e os dois professores que foram ouvidos nela foram demitidos.

As reações no Twitter foram imediatas.

Uma mãe muito inteligente. Problemas de aprendizagem vêm em muitas formas diferentes. Eles não devem ser maltratados ou envergonhados. Estou feliz que tenham sido demitidos.

Muitos parabenizaram Milissa.

Bom trabalho, mãe! Nenhuma criança deve ser tratada assim por qualquer educador. O fato de ele ter necessidades especiais torna isso ainda pior. Esta linda criança merece amor e apoio. Como a mãe dele.

Outros criticaram os professores.

São esses professores? Quão doente é tirar sarro de uma criança com dificuldades como se não sentissem ou não conseguissem entender o que está dizendo. É inaceitável, gostaria que houvesse leis contra isso.

A diretora Lisa Stone emitiu uma declaração onde tenta fazer o controle de danos.

"Em 23 de março de 2018, soubemos de uma gravação postada em redes sociais. Aparentemente, um pai enviou um aluno para a escola com um dispositivo de gravação em sua mochila. A gravação parece ser uma compilação de clipes de áudio, muitos dos quais são conversas privadas entre dois adultos sem outras pessoas / crianças presentes. A gravação contém trocas lamentáveis ​​entre esses adultos. O tutor nunca relatou a gravação para a Hope Academy antes de publicá-la nas mídias sociais. O tutor também se recusou a se reunir com a Hope Academy para discutir as ações que tomamos para resolver o problema. As pessoas envolvidas nas gravações não estão mais na escola ou não estarão mais na escola após este semestre. Durante esses anos, a Hope Academy construiu uma sólida reputação por atender com competência as necessidades educacionais da comunidade com necessidades especiais. Essas gravações não são uma indicação de quem somos. Pedimos que a comunidade não permita que as ações de duas pessoas afetem a reputação e a missão de nossa escola, uma missão que tentamos construir com tanto esforço. Mais uma vez, estendemos um convite para nos reunirmos com os pais envolvidos para discutir este incidente".

Enquanto isso Milissa matriculou Camden em outra escola onde ele é atentido por um professor com um grau de educação especial e outro em psicologia.

Embora agora ele receba um bom tratamento, ainda lida com o estresse causado pela experiência, sua mãe explicou que ele está ansioso e que às vezes ainda faz xixi na cama, algo que ele não fazia desde os 3 anos de idade.

Você já se sentiu assediado na escola? Compartilhe sua história nos comentários.

DEJANOS SABEN TU OPINION
TE LO RECOMENDAMOS
TU PUEDE INTERESAR