Mulheres européias na África e um único propósito: fazer sexo com os habitantes locais

Mulheres européias na África e um único propósito: fazer sexo com os habitantes locais27shares

Vamos ser honestos, todos adoramos as maravilhas que este belo mundo tem para nos oferecer. E que melhor maneira de conhecê-lo do que através do turismo? O turismo é a melhor desculpa para viajar e conhecer novas culturas. É uma maneira incrível de aprender coisas novas, experimentar costumes diferentes e explorar lugares nunca antes vistos.

Claro, nem todas as pessoas procuram o mesmo quando se trata de passear. Alguns querem aprender sobre a gastronomia, outros querem conhecer a história do lugar e, há aqueles mais ousados, cujo propósito é experimentar o chamado "turismo sexual", que não é nada mais do que uma maneira de "saborear" o romance que esta cidade tem para oferecer.

Sabe-se que em Zanzibar há um bom número de homens chamados de "meninos da praia" que frequentam as lindas praias locais vendendo bugigangas artesanais e passeios pelas ilhas, mas também oferecem outro tipo de experiência: sexo com os moradores!

Segundo relatos de vários visitantes, esses homens oferecem este tipo de serviço exclusivamente para mulheres brancas de meia idade.

Elas viajam de todos os lugares do mundo - principalmente da Europa - com um único propósito: passar um bom tempo com os homens locais! A verdade é que o "sexo" é um bom motivo para vajar para esses lugares, e é um costume que tornou-se tão popular e lucrativo, que é difícil parar.  

No entanto, as mulheres não são as únicas que procuram por "turismo sexual".

Na verdade, os homens europeus e norte-americanos - predominantemente brancos - viajam de longe para países pobres como Tailândia, Camboja e Quênia com o único propósito de ter relações com mulheres locais.

Você já pensou em viajar para simplesmente desfrutar do sexo com alguns habitantes locais?

Por outro lado, o turismo sexual não se enquadra no âmbito da prostituição.

Pois é visto como um intercâmbio social, em vez de um comércio "sexo por dinheiro". Embora muitas comunidades e autoridades tenham tentado frustrar esse tipo de turismo, não é tecnicamente ilegal.

O presidente do Conselho de Turismo do Quênia, Jake Grieves-Cook, disse que o turismo sexual poderia ser perigoso.

Apesar de não ter sido desaprovado, é desencorajador para a comunidade local. Uma vez que um país como o Quênia, que tem mais de 7% de prevalência de HIV / AIDS e considerando que os preservativos geralmente não fazem parte dessas fantasias sexuais, esse tipo de turismo pode ser um esporte perigoso.

Oh, isso é assustador

As mulheres mais velhas da Europa e da América do Norte frequentam essas ilhas com a esperança de encontrarem um morador local para um caso e encontros sexuais.

Mas elas não procuram homens menores de idade, esses encontros geralmente ocorrem entre adultos e têm relações consensuais com a compreensão explícita dos bens, do dinheiro e do serviço que serão trocados.

Conforme relatado pelo The Mail Online, essas mulheres podem viajar sozinhas ou em um grupo de amigas.

Elas são, na grande maioria, divorciadas ou mulheres que enfrentaram algum tipo de problema em seus relacionamentos anteriores. Também foi registrado que elas não são necessariamente ricas e muitas delas mantêm um trabalho administrativo.

O mais surpreendente de tudo, é que existe um filme sobre esse tipo de turismo.

O diretor austríaco Ulrich Seidl nos deu um olhar sincero sobre o mundo do turismo sexual em um filme de 2012. Nesse filme, ele mostra uma mulher de 50 anos que explora esse tipo de turismo no Quênia. A protagonista, Teresa, tem sobrepeso, e viaja de longe para encontrar algo, não apenas amor, mas luxúria.

No filme, vemos Teresa tendo sexo casual e encontros com os jovens locais.

Mas não só sexo acontece durante o filme, mas também se desenvolvem histórias elaboradas dignas de apreciação. No final do filme, a protagonista percebe que o sexo não passa de um negócio e que é um ato extremamente vazio.

Mas devemos nos perguntar: quem se beneficia de quem?

Essas mulheres com fome de sexo atacam homens empobrecidos ou são eles que se beneficiam da troca de dinheiro pelo serviço prestado? A este respeito, você pode ter duas opiniões: alguns pensam que essas mulheres são predadores que procuram satisfazer algumas necessidades sexuais, enquanto outras as vêem como mulheres tristes e solitárias.

Claro, o turismo sexual feminino não recebe a mesma atenção que o turismo sexual masculino.

Porque muitas pessoas vêem isso como algo inofensivo. Essas mulheres têm um poder financeiro razoável, são mulheres de meia-idade, que geralmente sofrem com o sobrepeso e que são pouco atraentes. Em contraste, os homens são mais agressivos quando se trata de explorar o turismo sexual em países pobres.

Em suma, temos certeza de que este é um jeito muito estranho e diferente de se conhecer novas culturas.

Devemos estar abertos a tentar esse tipo de experiência ou simplesmente não fazer parte desse "mercado"?

E você, o que você pensa sobre isso?

DEJANOS SABEN TU OPINION
TE LO RECOMENDAMOS
TU PUEDE INTERESAR